Sebrae Julho Mulher
 

Gurupi

09/01/2013

Gurupi: Polícia Civil investiga mais de 20 execuções sumárias em 2012

Por: Wesley Silas


As investigações conduzidas pelos delegados da Polícia Civil, José Rérisson e Evaldo Oliveira envolvem indícios de milícia, sumiço de oito pessoas, guerra entre traficantes e informações de vídeos de um programa de televisão de Gurupi.




 Delegados mostram material (Foto: Portal Atitude Tocantins)

Em entrevista ao Portal Atitude os delegados José Rerisson Macêdo e Evaldo de Oliveira Gomes, falaram sobre  21 casos de execuções sumária e do desaparecimento de 08 pessoas no ano de 2012 em Gurupi. As investigações apontam ainda que durante o ano de 2012 houveram 83 casos, entre tentativas e homicídios consumados em Gurupi.

Início das investigações

 No dia 27 de novembro a justiça decretou a prisão de seis PM´s acusados dos assassinatos de Cláudio Roberto Pereira Silva, 27 anos, Daniel Alves Batista, 18 anos, Genildo Miranda da Silva, 22 anos, Reginaldo Alves Miranda, 34 anos, Walison de Oliveira Gomes, 18 anos, e Ana Paula Lima, 21 anos. As vítimas morreram com tiros na cabeça. (leia aqui). O caso repercutiu dentro e fora do Tocantins e, desde então, a polícia vem investigando todos os casos que envolvem suspeitas de execução na cidade de Gurupi. 

Testemunhas

De acordo com os delgados uma mulher que estava no programa de proteção a testemunha saiu do programa em Palmas e voltou para Gurupi. Na manhã desta quarta-feira, 09, a polícia voltou a ouvir outras testemunhas, dentre elas duas mulheres.  “Ela (mulher que estava sob proteção da polícia) pediu afastamento do programa de proteção a testemunha. Em outras palavras pediu para voltar para as drogas. Voltou para Gurupi e foi presa por furto. Hoje ouvimos duas mulheres, uma delas estava no local do assassinato de Ismael Pereira Souza”, disse o delegado Evaldo Oliveira.  

Guerra entre traficantes

As investigações apontam agora um total de 21 execuções sumárias no ano de 2012, sendo que seis delas aconteceram durante uma guerra de disputa por pontos de drogas em Gurupi. “Seis homicídios que aconteceram em 2012 por disputa de área de drogas e envolveu pessoas dos setores Malvinas, Santa Cruz e Setor Leste. São três grupos rivais que se digladiavam por espaço. Dentro da investigação do caso do envolvimento dos policiais, nós pudemos estes seis casos estavam relacionados a disputa de área de drogas e os outros ainda são uma incógnita”, disse o delegado Evaldo.

Ritual dos crimes

Segundo os delegados os rituais de todas 21 execuções sumárias eram feitos em duas formas e que todas as vítimas tinha envolvimento com drogas e roubo. “Ou arrebatavam a pessoa e leva para o mato e executam com um tiro na cabeça com um revolver calibre 38 ou espingarda 12 ou na porta da residência por dois indivíduos em um moto”, descreve o delegado Evaldo de Oliveira.

Desaparecidos

De acordo com a Polícia Civil 08 pessoas continuam desaparecidas. “O caso mais conhecido é o do Florisvan e sua namorada. Um casal de adolescente de 17 anos que desapareceu no dia de uma abordagem Militar no percurso da casa dele numa região de mata. A própria mãe dele fez o relato no Ministério Público”, disse o delegado que terá até o dia 25 de janeiro para concluir as investigações.

Programa de TV Gurupi Urgente

A Polícia Civil investiga  três vídeos, sendo dois exibidos no programa Gurupi Urgente, do apresentador Marcão do Povo.  O primeiro (veja aqui) http://youtu.be/1SHrbIyAUHk  trata-se de uma reportagem feita no início do ano quando aconteceu um estupro de uma criança em Gurupi. A reportagem mostra um caso de uma pessoa sendo executada, sendo que, as investigações constataram que as imagens eram de um outro crime similar que aconteceu em um outro Estado. “Neste mesmo vídeo tem a participação do repórter em frente a Central de Flagrante e assimila como se o fato estivesse acontecido aqui”, disse um dos delegados.

O segundo programa http://youtu.be/mh344oyQGC4 investigado é relata o primeiro homicídio de Gurupi que, segundo os delegados, seria uma reportagem normal, se não fosse uma espécie de reconstituição do crime feito por um cinegrafista do programa onde o apresentador Marcos Paulo expressa que a vítima teria implorado pela sua vida e se ajoelhado com as mãos para traz antes de ser executada. “O cinegrafista sabia que ele estava na mesma posição mãos para trás e cabeça baixa? O importante destes dados são as mãos para traz que ele coloca como se a vítima estivesse algemada. A memoria visual era como ele estivesse algemado”, disse o delegado Rerisson Macêdo.

Um terceiro vídeo http://youtu.be/W_e8Qvq1630 que não foi ao ar que segundo informações dos delegados foi fornecido por um funcionário do programa. O vídeo aponta um suposto ritual de tortura filmado pela polícia a dois homens, sendo um deles chamado de Wesley e o outro desconhecido. Nele uma pessoa pede aos dois homens que eles sumam de Gurupi.  “Como mostra as imagens a pessoa que estava filmando com uma arma na mão disse que eram oito pessoas que estavam recebendo quando ele disse que a ordem do cara pagou era para matar. A Partir destas informações produzidas por eles alguém está pagando para limpar está área”, disse.

O que diz Marcão do Povo

O Portal Atitude ouviu o apresentador Marcão do Povo. Sobre os dois programas Marcão do Povo disse que as informações são veiculadas em seus programas foram repassadas pela polícia. “O que nós mostramos é o que a polícia repassa para a equipe. O apresentador não tem que dar satisfação para delegado relacionado a sua apresentação. [...] Eles estão querendo é incriminar os policiais e perguntaram para o Jair se ele tinha vista alguma marca de algema (segundo vídeo) no cara que foi morto porque o Jair foi fazer a reportagem no local querendo achar alguma culpa para prejudicar os polícias e eu não vou falar mal dos policiais porque eu não tenho motivo para falar”, disse o apresentador.

Sobre o terceiro vídeo que aponta filmagem de uma suposta tortura a dois homens, Marcão do Povo disse que o desconhece. “Eu não sei que vídeo e este e num vi este vídeo. Se foi o Jair ele é um repórter investigativo e isso nunca foi ao ar, jamais foi. Eu juro pela minha filha, que é a coisa mais importante da minha vida, que eu nunca vi este vídeo ai. Eu não sei de nada e até porque eu não fui chamado lá e na hora que me chamar eu vou com o maior prazer do mundo. Se for para ajudar em alguma coisa eu ajudo. Eu queria até ver este vídeo porque é o Jair que recebe isso e assim como vocês têm suas fontes elas são preservadas por lei e nós temos as nossas”, disse Marcão.

Empresários

A polícia investiga uma suposta participação de quatro empresários da cidade num suposto financiamento de uma milícia. “O que me chamou atenção é que, efetivamente, os empresários que foram intimados e ouvidos aqui confirmaram que têm um bom relacionamento com os policiais militares e quando acontece alguma atividade eles até remuneram, ou seja, patrocina atividades de policiais militares, mas não para a Polícia Militar. Estas contribuições não são para a Polícia Militar são para associações ou para atividades particulares dos policiais militares”, declarou o delegado Rerísson Macêdo.

Comentários

23/01/2013 10:41 - amanda
Muito estranho os policiais pegam os meninos levam para o local onde eles foram mortos com tiros na cabeça,Uma mulher q viu os policiais levando os meninos tbm morreu com tiro na cabeça Gente por favor ninguem tem o direito de tirar a vida de ninguem

16/01/2013 00:28 - Goioany Araujo
São fatos que chamaram a atenção, mais creio que os policiais militares não estão envolvidos nesse esquema de matar pessoas pq somos pagos para dar proteção e não praticar delitos.

10/01/2013 09:28 - Angelice
Se bandido bom é morto, lema do apresentador, então todos deveria morrer, pois não há ninguém que nunca tenha cometido crime, por menor q seja, pegar uma caneta q não lhe pertence é crime, assim como aproveitar d uma troco passado errado e por aí vai

10/01/2013 09:26 - Angelice
É deprimente um apresentador que presta munus público induzir as pessoas dessa forma. Hoje, a maioria das pessoas busca informação na TV. Pessoas mais hulmides são mais influenciáveis pela mídia e sabendo disso aproveita dessa pessoas

09/01/2013 22:35 - josé murilo rosa
dois meses de investigações e nada de provas concretas contra os Policiais. agora os delegados querem apresentar como provas suposições retiradas de programas do Marcão. era só o que faltava, que feiura.

09/01/2013 19:40 - alankardec lima silva
TUDO ISSO QUE ESTA ACONTECENDO AI EM GURUPI ENVOLVE UMA GRANDE DEMANDA DE DROGAS A POLICIA ESTA FAZENDO SEU TRABALHO!

Comente Comente


[+] notícias

  • CooperfriGU
  • Senar Julho
  • Lider Auto Peças
  • Discovery
  • Doe Sangue
  • Atitude Tocantins

Quem Somos | Capas  | Agronegócio | Ambiente Gospel | Cidades | Ciências e Tecnologia  | Contexto Brasil | Cultura | Economia | Educação | Eleições 2012 | Empregos, Cursos e Concursos | Esporte / Rogério Rodrigues | Estado | Filantropia | Foco Universitário | Gurupi | Meio Ambiente | Opinião | Polícia | Política | SAÚDE COM ATITUDE | Sociedade | Contato | Acessos

Jornal Atitude Comunicação © 2014 - Todos os direitos reservados